Relatório de
Sustentabilidade 2014
A
A
×

Contato

×

Avalie este Relatório

Relacionamento com as Comunidades

Desde o momento inicial de estudos para a implantação de seus empreendimentos e instalações, a Chesf faz diagnósticos na área de influência direta e indireta, para que possa identificar o impacto em comunidades.

As análises fundamentam ações criadas para evitar ou minimizar o impacto das atividades. Para a Chesf, investir no social é contribuir como agente transformador de comunidades carentes. Para isso, foca em projetos relacionados às áreas de educação, capacitação profissional, geração de renda e promoção da saúde. As ações são vistas pela empresa como oportunidades para apoiar o desenvolvimento das regiões onde atua e trabalhar por uma sociedade mais justa e sustentável.

A maioria dos programas e projetos sociais apoiados pela Companhia beneficia moradores de regiões do entorno de seus empreendimentos. Em 2014, foram investidos R$ 32,9 milhões nesse tipo de iniciativa. Dois grandes projetos apoiados pela Chesf e executados pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) vêm trazendo significativa melhoria na qualidade de vida das comunidades beneficiadas.

Os programas Lago de Sobradinho e Boa Esperança são executados no entorno das duas usinas da companhia que nomeiam os projetos. Com a implantação de campos de aprendizagem tecnológica e treinamento, o Projeto Lago de Sobradinho promove o repasse de conhecimento e de tecnologia que ajudam os produtores agropecuários e pescadores que moram no entorno da barragem de Sobradinho (BA) a lidar com a seca.

O Projeto Boa Esperança oferece tecnologias alternativas que ajudam a promover o desenvolvimento sustentável das comunidades rurais situadas no entorno do reservatório da Usina de Boa Esperança – atendendo municípios dos Estados do Piauí e Maranhão.

Os conhecimentos adquiridos ajudam a comunidade a desenvolver e aprimorar sistemas de produção familiar agrícola e animal, de agroindústrias, meliponicultura, pesca e piscicultura. Além do incentivo por meio de projetos e convênios, a Chesf promove também, na Sede e nas Regionais, ações voltadas para a comunidade que abordam os temas Saúde, Educação, Segurança, Cidadania, Gênero e Raça. São feiras, palestras, oficinas, campanhas de conscientização, além de oferta de atendimento médico e odontológico.

Em 2014, os empreendimentos de transmissão em construção estavam localizados, em sua maioria, em áreas rurais. Dessa forma, os impactos nas comunidades locais não foram significativos. Na área de geração, está sendo construído o parque eólico de Casa Nova na Bahia. Os impactos dessa obra em comunidades locais não foram significativos.

RESPONSABILIDADE

No ano de 2014, os empreendimentos de transmissão em construção estavam localizados, em sua maioria, em áreas rurais. Dessa forma, os impactos nas comunidades locais não foram significativos. Já na área de geração, a construção do parque eólico de Casa Nova na Bahia também não ocasionou impactos significativos nas comunidades locais.

PROGRAMA LUZ PARA TODOS

Os projetos de desenvolvimento regional coordenados pela Chesf estão alinhados aos programas sociais do Governo Federal. Em 2014, o Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica (Luz para Todos) realizou 37.528 ligações que beneficiaram 187.640 pessoas.

HOSPITAL NAIR ALVES DE SOUZA

O Hospital da Chesf em Paulo Afonso, ou Hospital Nair Alves de Souza (HNAS), está em processo de transferência da titularidade e gestão para a Universidade do Vale do São Francisco (UNIVASF), em parceria com a Prefeitura Municipal de Paulo Afonso e a Secretária de Saúde da Bahia (SESAB). Em 2014 as ações tiveram continuidade, com previsão para conclusão da transferência estimada para dois anos. Para realizar a transição sem prejudicar a população local, a Chesf realizou uma reforma em seu Centro de Formação Profissional para abrigar provisoriamente o novo curso de medicina da UNIVASF. Em 2014, 40 estudantes já participavam das aulas no local enquanto o novo prédio que está sendo construído em um terreno doado pela Chesf não fica pronto.

DESLOCAMENTOS

O processo de licenciamento ambiental prevê estudos na área de influência de empreendimentos e instalações, entre eles o diagnóstico do meio socioeconômico. Também são identificadas as populações atingidas e avaliados os impactos decorrentes da implantação e operação dos empreendimentos, incluindo os casos em que seja necessária a relocação.

Os estudos são usados para elaboração e execução de projetos com ações mitigadoras, entre eles os programas de educação ambiental, de comunicação socioambiental, de resgate cultural, de realocação, dentre outros. Para as populações indígenas e quilombolas, as iniciativas são norteadas por acordos internacionais firmados pelo Brasil e por legislações e regulamentações nacionais específicas.

Por meio de um grupo de trabalho conjunto com as demais empresas Eletrobras, a Chesf elaborou Diretrizes para Remanejamento de Populações Atingidas por Empreendimentos de Energia Elétrica. Elas norteiam as ações da empresa quando há necessidade de deslocar pessoas, criando alternativas baseadas em diálogos, estudos e negociações transparentes com as comunidades impactadas. Em 2014, não houve nenhum deslocamento a ser relatado.

PROGRAMAS DE ENGAJAMENTO DA COMUNIDADE

A escolha dos projetos se dá por meio da análise dos benefícios que serão proporcionados para a comunidade atendida tendo como referência a Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras e o Manual de Orientação sobre Projetos Sociais da Chesf. A prática de ações na área de Responsabilidade Social promove a redução das desigualdades sociais, aumenta a motivação dos empregados, promove o reconhecimento e fidelidade do público-cliente, além de contribuir para valorizar a imagem da Chesf e de seus produtos.

+EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Em 2014 foram realizadas ações nas Linhas de Transmissão (LT) Jardim/Camaçari, Banabuiú/Mossoró, Picos/Tauá e Messias/ Recife II. O objetivo é o desenvolvimento de projetos de Educação Ambiental junto à população local e aos trabalhadores envolvidos na operação do empreendimento para promover um processo de sensibilização e mobilização no monitoramento e avaliação de projetos socioambientais locais. O programa trabalha com metodologias participativas que garantem o respeito, a pluralidade e a diversidade cultural, fortalecendo a ação coletiva e organizada para a compreensão do cenário ambiental em toda a sua complexidade.

+NOVA MANEIRA DE PENSAR E AGIR

Criado para disciplinar e integrar as ações sobre o meio ambiente entre empresa comunidade, o Plano de Ação Socioambiental (PAS) é um processo de gestão ambiental, com âncoras em comunicação, educação e saúde ambiental, que permite às pessoas, por meio do conhecimento e da prática, internalizarem uma nova maneira de pensar e agir no embate das relações sociedade e natureza. A área de atuação do PAS está delimitada pelo nível de influência dos empreendimentos do Complexo Hidrelétrico de Paulo Afonso, composta pelas Usinas Hidrelétricas Paulo Afonso I, II, III, IV e Apolônio Sales, abrangendo cinco municípios distribuídos em três estados (Bahia, Pernambuco e Alagoas). A partir das oficinas, foram escolhidas 167 propostas de ação, categorizadas em 11 grandes eixos e divididas em cinco programas:

• Educomunicação socioambiental
• Educação e saúde ambiental
• Conservação dos recursos naturais e recuperação de áreas degradadas
• Educação, arte, cultura e meio ambiente
• Fortalecimento institucional e sustentabilidade.

+MOTIVAR E SENSIBILIZAR

No projeto jusante do reassentamento de Itaparica foi colocada em prática uma proposta de educação e comunicação conhecida como projeto Motivar. O objetivo é sensibilizar a população reassentada para entender a importância da conservação dos recursos naturais e assegurar a sustentabilidade do processo produtivo. O projeto apresentou diagnóstico capaz de demonstrar o nível de articulação e integração entre as diversas agrovilas do Projeto Irrigado e identificar os problemas que poderiam ser tratados dentro de uma proposta educativa capaz de transformar e aperfeiçoar os saberes e fazeres relativos ao uso e conservação da água do solo e da vegetação. Cerca de 210 pessoas participaram das oficinas e, em 2014, o projeto foi concluído com um encontro em que estavam representadas as oito agrovilas. A ideia é demonstrar a importância de se desencadear o processo organizativo para ampliar as conquistas importantes para a fixação da população na área.

+EDUCAÇÃO CONSCIENTE

A Chesf trabalha na conscientização das comunidades no entorno dos empreendimentos sobre o uso sustentável dos recursos naturais e as consequências das ações de vandalismo em Linhas de Transmissão (LTs) e queimadas sob as faixas de servidão. Em 2014, as ações focaram as LTs Banabuiu/Fortaleza e Milagres/Banabuiu (CE) e Angelim/Tacaimbó (PE). A quebra de isoladores provocada por crianças e adolescentes nas faixas de 9 a 14 anos estava ocasionando desligamentos, que acarretavam multas à Chesf por indisponibilidade do sistema. A metodologia teve início com um levantamento de dados quantitativos e do público-alvo, seguida de um planejamento das ações educativas nas escolas, associações de moradores e comunidades onde passam as LTs da Chesf. O trabalho culminou com a realização de reuniões e a distribuição de material educativo. Na LT Angelim/Tacaimbó, foram ainda feitas duas palestras sobre queima controlada de mato no município de Calçados, devido à alta incidência de queimadas no ano de 2013.

+CONVIVÊNCIA HARMÔNICA

A comunicação ambiental faz parte do processo de interlocução com as comunidades nas áreas pleiteadas para a instalação de empreendimentos ou em locais com Linhas de Transmissão (LTs) já em operação. O objetivo duplo desse programa é a informação ao público-alvo sobre os cuidados para uma convivência harmônica com os empreendimentos e sobre práticas sustentáveis no meio ambiente local. Em 2014, a Chesf realizou o Programa de Comunicação Ambiental na LT Banabuiú/ Mossoró, dando ênfase ao reconhecimento da área de abrangência do programa, visitas institucionais e aplicação de questionário socioeconômico, apresentação da proposta do PCA, criação de material para apoiar as ações de campo e definição da logística para execução das atividades. As ações de comunicação tiveram um alcance de quase 90% do público-alvo indicado, com visitas domiciliares a 364 famílias, além de sete reuniões em associações comunitárias e escolas.

Total
392
operações

Recursos disponibilizados à
população local: R$ 2.519.092,20

Educação e conscientização ambiental

Na organização2014
Número de empregados treinados nos programas de educação ambiental52
% de empregados treinados nos programas de educação ambiental0,011
Total de horas de treinamento ambiental0,002
Recursos aplicados (R$ mil)16,02
Na comunidade2014
Número de unidades de ensino fundamental e médio atendidas223
Número de alunos atendidos28.417
Número de professores capacitados1.178
Desempenho Social
Desempenho Social